Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Destralhar

Destralhar

Tarefa: preparar uma tarefa

patricia-serna-415257-unsplash.jpg

 Vai soar ridículo, eu sei.

 

Tenho umas calças para reparar. Estão na minha mesa há semanas. Quando penso em arranjá-las,olho para elas, azul marinho e olho para a máquina, linha branca. Desisto.

 

É ridículo, eu sei.

 

Esta manhã, fui buscar as linhas azul marinho e enfiei a máquina. Perfeitamente sabendo que não iria coser de imediato, mas com a plena consciência que, na próxima vez, parte do trabalho está feito.

 

Frequentemente, esquecemo-nos que preparar uma tarefa é parte da sua execução. Pois bem, a reparação é tão simples, apenas com preparação da máquina, 1/3 da tarefa está concluída. 

 

Pequenos passos são importantes.

Extensão instagram para desktop (e é tuga!)

Encontrei uma solução para o meu problema com o instagram. Encontrei uma extensão para o Google Chrome (que é o browser que utilizo) para poder publicar no computador.

 

Quando clicamos na extensão, abre uma janela no lado direito do ecrã. E para minha surpresa, descobri que é uma aplicação portuguesa.

 

Assim,

pude manter o meu desejo de ter uma conta onde posso seguir e participar no bookstagram, e manter a minha sanidade, afastando a aplicação do meu telemóvel.

 

Escolhe as tuas batalhas...

 

1.JPG

2.JPG

3.JPG

 

 

Direcções... de insta a slow

instagram

Há poucas semanas decidi criar uma conta na rede social Instagram (#bookstagram). Adorei. O problema é substituí o tempo de ler livros e escrever sobre livros, pelo o de olhar para fotografias sobre livros. 

As horas dos dia não esticam, pelo que tive de escolher a minha prioridade. Isto porque, a minha natureza aditiva, associada aos incentivos para esse efeito, criados pela própria ferramenta, tornam impossível que a utilize com moderação. 

Por isso desinstalei a aplicação.

 

Notícias falsas

Cheguei a ver, como muitas/os o vídeo de uma feminista que molhava homens num metro, se estes estivessem sentados com as pernas abertas. Achei que era mais um vídeo de conteúdo, feito para ser conteúdo e ignorei-o. Recuso-me a andar a reboque do mais recente "vídeo polémico" criado para gerar cliques. Querem discutir assuntos sérios, discutam-nos com seriedade.

Porém, a realidade é muito mais assustadora, se forem verdadeiras as notícias que é mais um instrumento da máquina de destabilização social que a Rússia parece ter criado. 

 

Exercício

Fiz uma pequena comparação (a olhómetro) entre o meu histórico de navegação de internet antes e depois da minha decisão de ler apenas "notícias" que considero importantes e cujos temas me comprometo a aprofundar. A diferença é abismal. 

 

Atenção que não deixei de fazer uma utilização lúdica da internet, simplesmente estou a ser mais intencional no que respeita a "notícias". 

A responsabilidade não é apenas dos jornalistas (mas também)

"A atenção mediática – que há tempos gastou horas e horas, também com repetições incessantes com os episódios que envolveram o Sporting, idem com as toupeiras ligadas ao Benfica ou com a perseguição de um fugitivo – não se interessou por aí além por um discurso cuja espessura de posicionamento superou muito a da rotina dos discursos."

 

Francisco Sena Santos escreveu um texto importantíssimo sobre o mediatismo dos assuntos de relevância jornalística e de como os jornalistas têm responsabilidade da informação que é circulada e como é circulada. 

 

Sinto-me cada vez mais puxada por aquilo que outros (e sabe-se lá com que intenções, porque continuamos a não ter a lista de jornalistas pagos pelo BES) consideram ser digno de notícia.

Os cabeçalhos de notícias que, na verdade não são mais que coscuvelhice, dominam os canais e somos nós que os alimentamos, cada vez que neles clicamos. 

 

Esta semana, vou ser intencional com a minha forma como respondo à agenda jornalística. Vou "dar" os meus cliques (porque leio mais do que vejo) às matérias que considero ser importantes, em vez daquelas que me captam a curiosidade. 

 

Primeira acçãoouvir o discurso (15 minutos) referido no texto, porque foi feito em nome dos portugueses e representa o nosso posicionamento em política externa.

Capturar.JPG

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D