Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Destralhar

Destralhar

24
Out14

Despejar a mente

Uma das coisas que me ajuda a destralhar a mente é escrever na agenda tudo que tenho a fazer - chamo a isto despejar a mente e não obedece a qualquer organização (importante, com ou sem prazo, casa ou trabalho). Aliás, defendo mesmo que é importante fazer isso sem organizar (organizar implica estar a fazer algo de muito distinto).

 

Ao fazê-lo sinto que a angustia das tarefas não concluídas se esvanece, mesmo que não tenha ainda feito nada. O que fica é o sentimento de segurança de que as posso organizar e concluí-las e que nada ficará perdido. 

 

l1.JPG

 Depois, o que fica são as tarefas a concluir durante o fim-de-semana:

 

- embrulhos e embalagens para os CTT (aniversários D/S)

- terminar pés dos bancos

- colocar prateleira no armário

- montar candeeiro

- colocar carpete

 

E ainda entregar coisas ao seu dono: saco de roupa, brinquedo, marmelada.

24
Out14

Destralhar a mente, precisa-se

Acredito em algo que a Gretchen Rubin, a autora do livro Projecto Felicidade, disse: "outer order contributes to inner calm" - a ordem exterior contribui para a calma interior

 

Estas últimas duas semanas tenho sentido que o inverso também é verdade: desassossego interior contribui para a desordem exterior. 

 

Há 15 dias que o registo de hábitos é uma folha em branco e os meus objectivos por cumprir: deito-me a más horas ou acordo durante a noite e não volto a adormecer. Se por um lado me levanto às 8h00, por outro posso estar a pé às 5h00. Apesar de tudo a cama é feita todas as manhãs e a banca está limpa todas as noites. 

 

Todas/os teremos fases destas, imagino e poucas hipóteses: ceder ou lutar. 

 

Por isso estou a tentar combater a inércia. Porque a vivência na casa implica que as coisas ficam desarrumadas: da louça na banca à roupa suja, passando pelo que sai dos armários e acaba na secretária para arrumação. Assim, ficar inerte é ver a acumulação das tralhas pela casa.

 

Hoje encontrei a motivação no blog da Avó Madalena que também luta todos os dias e que ainda assim encontrou motivação para se aventurar no projecto 333. E com este tempo maluco, o projecto é mesmo um desafio.

 

Em suma, perdoem a ausência.

Pág. 1/3

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Sara

    Visitei o teu blogue para colocar link no meu post...

  • Anónimo

    Boa Noite que tem da Vista Alegre para vender...??...

  • Zélia Marisa Reis Coelho

    Descobri agora o blog, a mim também não me faz con...

  • Daniel Ferreira

    A cola Pattex uma desilusão?!?!?! Essa cola é o Fe...

  • marttokas

    Eu acho que se fosse destralhar apenas uma coisa p...

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D