Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Destralhar

Destralhar

Destralhar materiais de manualidades

Um dos meus problemas é acumular demasiados materiais de manualidades, sempre com a intenção de grandes projectos, mas com pouca execução. Em especial no inverno, é muito difícil fazer seja o que for porque a sala/escritório onde estão os materiais é muito fria e impossível de aquecer pois não tem porta que a separe do corredor.


 


Como é pouco exequível (e muito chato) andar sempre a levar os materiais e voltar a arrumá-los, quase se pode dizer que hiberno a minha faceta bricoleira. 


 


E os materiais vão-se acumulando. Por exemplo, esta semana aproveitei para comprar 2 tshirts básicas de criança para decorar em promoção). A estas juntaram-se 4 que não decorei  no ano passado. 


 


Assim, decidi tomar o pulso dos projectos agrupando os materiais necessários para cada um, num saco (com zip lock) ou bolsa (mica). Assim, posso levar o saco para a sala (aquecida) e trabalhar nesse projecto, ou componente de projecto. 


 


Improvisei uma caixa com material e caixa de lixo (um problema quando se recorta feltro) que posso transportar com facilidade pela casa. Como poderão constatar, materiais reutilizados, sem embelezamentos.


 


 


Para cada projecto ou componente de projecto, o template e o feltro a utilizar. No total, 14.


 


Apenas a caixa de materiais e um dos sacos é que será levado para outra divisão. Uma boa ideia para quem deseja rentabilizar alguns momentos livres frente à TV. Os restantes sacos ficam numa prateira a aguardar pela sua vez.


 


E acreditem quando vos digo que, muitos destes projectos demoraram mais a ser escolhidos que os 10-20 minutos que demoram a ser executados.


 


Um dos projectos é este, se tiverem curiosidade.


 


E assim, uma boa parte do feltro tem destino e as tshirts saem do saco onde vivem há mais de um ano.

Destralhar na cozinha

A Margarida disse: é um desafio constante. E eu concordo plenamente. Até que uma rotina se instale é um desafio constante para manter-mos a motivação. Mais, há sempre algo que não conseguimos destralhar num primeiro momento e que, algum tempo depois, se evidencia ainda mais a sua inutilidade.


 


Ontem, decidi voltar a pegar nas revistas de culinária. De entre as revistas destralhadas, havia deixado algumas para análise posterior, nomeadamente aquelas em que identificasse pelo menos 3 receitas que desejasse manter. Claro está que após diversos meses, continuei sem abrir as revistas, quanto mais experimentar as receitas. 


 


Por isso, ontem decidi destralhar diversas revistas - cerca de 20. E como prémio, ainda descobri entre elas 2 revistas da DecoProteste e 2 revistas de decoração. Não faço ideia de como foram lá parar. 


 


Instalei-me no sofá, enquanto ouvia música e os noticiários, com uma tesoura, um saco para o papel a reciclar e um monte de revistas.


 



 


Ao conjunto, aditei uma capa que ficou vazio, 3 livros de culinária que nunca foram usados e alguns itens que descobri escondidos num armário:


 



 


E desse lado? O que destralharam hoje?

Recolher/Arrumar - 26/31

Ao 26º dia de recolher e arrumar, concluo que o mesmo está a ser um sucesso pessoal. Porém, do ponto de vista do blog, um verdadeiro desastre. Que dizer quando não há nada para dizer, excepto... "tudo vai destralhado na costa"? (façam o favor de entoar a frase como se tivessem a dizer "mar à vista" ao estilo do Capitão Iglo).


 


Há dias, reflectia sobre os perigos de ter sido tão fácil, como seria depois de encerrar o desafio e não temer as malvadas fotos de fim de dia. Mas hoje fez-se luz. 


 


O acto de destralhar as superfícies da casa, deixando-as desimpedidas dos habituais objectos, não é algo que eu tenha conseguido mudar em 15 dias. Ainda hoje, senti o primeiro impulso de "deixar estar" para o corrigir com um "arrumar". Tem sido assim por diversas vezes, durante estes dias. A auto-correcção está sempre presente.


 


O que descobri?


 


1. Que este desafio não começou no dia 01/03/2013, mas há mais de 1 ano, quando comecei a mudar as coisas em casa e na minha forma de estar na vida.


 


2. Que o efeito bola de neve, existe: paralelamente com o recolher/arrumar, passei a dobrar sempre a manta do sofá e a arrumar as almofadas, passei a arrumar melhor a cozinha...


 


3. Que pouco a pouco (e não me canso de reforçar este "pouco a pouco") as mudanças vão evidenciando-se pela casa, pelo tempo disponível e pela tranquilidade de não ver objectos "a monte".


 


 


E com isto, já penso no próximo passo. 

Uma receita para mudança


 


1. Uma mudança de cada vez


2. Começar devagar


3. Repetir diariamente, na mesma hora


4. Comprometa-se com alguém


5. Responsabilize-se


6. Estabeleça consequências


7. Desfrute a mudança


 


 


Há coincidências extraordinárias. Hoje em diversas trocas de impressão com a Ocupadíssima, dizia-lhe que para mim, o ponto de viragem (nestas coisas de destralhar e noutras) foi o projecto de destralhar 3 objectos por dia e foi precisamente porque:


 


- me concentrei apenas nessa actividade diária;


- comecei apenas por 3 objectos diários (em vez de uma divisão, por exemplo);


- estabeleci uma rotina diária;


- comprometi-me com as/os leitores do blog;


- responsabilizei-me perante as/os mesmas/os a publicar os resultados diariamente;


- vi a vergonha de falhar publicamente como a minha consequência maior.


 


No final do dia, leio um texto com os 7 pontos acima indicados, como se fosse escrito para concluir o dia. E hoje gozo os frutos do meu labor. Por isso e pelo facto de ter estado pouco tempo em casa na última semana, não tenho fotos adicionais para o desafio recolher/arrumar que hoje tem o seu 20º dia. E essa é a verdade.


 


Durante o dia as coisas vão sendo arrumadas no seu local e no final do dia não há nada nas superfícies.


 


Continuam as mesmas duas superfícies a precisar de tratamento: secretária do escritório e mesa da cozinha. Mas essas duas (e mantendo-me fiel ao ponto 1, serão alvo de intervenção própria).




Inspiração de hoje: How to Change Your Life: A User’s GuideLeo Babauta

Recolher/Arrumar 11 e 12

Em dois dias, apenas descobri um objecto fora da sua casinha... E só o descobri na manhã seguinte... deve ter fugido pela calada da noite, safadolas



 


Ontem à noite, senti que realmente havia instituído, mas que uma rotina, um comportamento. As sacas e os seus conteúdos foram prontamente arrumados. A roupa lavada imediatamente colocada nos armários ou gavetas. 


 


Estou a gostar da experiência e recomendo, mas agora que quase nunca tenho nada para recolher/arrumar, começo a sentir que há muito que estou a adiar a tarefa de destralhar.


 


Destralhar - uma dentada de cada vez


 


Com efeito, é meu objectivo destralhar o que está em excesso para não ter de me preocupar com ele quando chegar o tempo das tarefas de manutenção da casa. 


 


Ou seja, o objectivo geral: destralhar a casa. O problema com os objectivos com "o" grande é que são demasiado genéricos e são tão "grandes" que acabam por ser impossíveis de atingir de forma igualmente genérica. É a velha máxima: como se come um elefante? Com uma dentada de cada vez.


 


A casa tem 5 divisões, uma delas a casa de banho que não já foi alvo de intervenção. Sobram 4: 1 cozinha, 1 sala, 1 escritório e 1 quarto de dormir. O escritório e a cozinha são o meu calcanhar de Aquiles. Por isso, escolher uma delas seria condenar-me ao fracasso, embora sejam os espaços que mais ansiedade me causam.


 


Porém, decidi enveredar por uma estratégia diferente:


- Escritório e cozinha continuam como pequenos projectos (uma prateleira de cada vez)


- Quarto e sala serão alvo de uma master list (uma de cada vez). 


 


O que é uma master list?


É o elefante partido em bocados que caibam na boca. Uma lista de tarefas para cada divisão. E cada tarefa tem a sua acção.


 


Exemplo: sala/estante de livros/prateleira 1


acção 1 - destralhar


acção 2 - colocar os livros destralhados à venda no Miau/WinkingBooks ou doação


acção 3 - separar os livros a destralhar dos restantes


 


Se pensarem bem nas acções, isto já é uma tarefa com algum trabalho. Há que tomar uma decisão quanto aos livros, fotografar os que serão para vender ou trocar, mudá-los de local para perceber o espaço.


 


Como não tenho onde colocar os livros enquanto os aloco para venda ou troca, coloco-os numa prateleira à parte, numa outra estante do escritório.

Pág. 1/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D