Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Destralhar

Plano B da Vida

Destralhar

Plano B da Vida

Reduzir e reutilizar

2.jpg

Esta pequena "peça" já foi o meu "tabuleiro de bijuteria". Fiz com um pouco de feltro que já tinha e meia dúzia de pontos.

 

Agora que fui progressivamente destralhando a bijuteria, deixou de ter propósito. Seria mais um objecto a destralhar, se o tivesse comprado.

 

Por isso é tão importante reduzir e reutilizar, em vez de comprar objectos para organização.

 

Descosidos os pontos, volta à forma de tecido que pode ser utilizado noutro projecto. Zero desperdício e zero impacto ambiental.

Organizar tendo em conta a limpeza

Quando li o livro da Marie Kondo, houve uma coisa que retive e que tenho tentado implementar: organizar a cozinha em função da limpeza, em vez da utilização.

 

Para mim, isto faz imenso sentido, porque eu detesto limpar. E prefiro tirar/colocar coisas dos armários que tê-las à mão e depois ter de as limpar de pó e/ou gordura.

 

Na verdade já havia começado esse processo, antes de ler o livro:

- eliminando um volumoso cutelo de facas e depois de uma tentativa falhada de manter um suporte magnético (como o vapor, as colas/massas desprendiam-se) e passei-as para a gaveta;

- eliminando o suporte de rolo de papel (que raramente uso).

 

Esta semana, avancei mais um pouco:

 

Saleiro

Eliminei o saleiro (que já tinha a camada vítrica da cerâmica a descascar) e substituí por um pequeno frasco que está no armário dos óleos e especiarias. 

O resto do sal está no armário das mercearias num frasco grande que reutilizei.

Ambos os recipientes podem ir à máquina para lavar e foram custo zero.

 

Escorredor da louça

Porque tenho máquina, raramente o utilizo. Arrumei-o debaixo da banca.

É muito volumoso mas não quero aumentar a minha pegada ambiental ao comprar um novo e mais compacto. O que tenho será usado enquanto durar.

 

Planos futuros:

Planeio furar a lateral do móvel do frigorífico (madeira) para colocar uns pequenos ganchos onde posso pousar as 2 tábuas de madeira.

 

É muito mais fácil limpar a banca sem nada em cima. É passar um pano, em vez de tirar 5 coisas para poder passar o pano.

 

Por isso, esta é uma estratégia em que acompanho a Marie Kondo.

Estar presente

david-sinclair-623963-unsplash.jpg

"... uma das formas subtis do cuidado ocorre quando usamos simplesmente a nossa presença tranquilizadora e afectuosa para ajudar e acalmar alguém. A mera presença de alguém de quem se gosta, mostram os estudos, tem uma propriedade analgésica, sossegando os centros que registam a dor. Nomeadamente, quanto mais empática for a pessoa na presença de alguém com dor, maior o efeito calmante."

Foco - Daniel Goleman