Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Destralhar

Plano B da Vida

Destralhar

Plano B da Vida

Recolher/Arrumar - 26/31

Ao 26º dia de recolher e arrumar, concluo que o mesmo está a ser um sucesso pessoal. Porém, do ponto de vista do blog, um verdadeiro desastre. Que dizer quando não há nada para dizer, excepto... "tudo vai destralhado na costa"? (façam o favor de entoar a frase como se tivessem a dizer "mar à vista" ao estilo do Capitão Iglo).


 


Há dias, reflectia sobre os perigos de ter sido tão fácil, como seria depois de encerrar o desafio e não temer as malvadas fotos de fim de dia. Mas hoje fez-se luz. 


 


O acto de destralhar as superfícies da casa, deixando-as desimpedidas dos habituais objectos, não é algo que eu tenha conseguido mudar em 15 dias. Ainda hoje, senti o primeiro impulso de "deixar estar" para o corrigir com um "arrumar". Tem sido assim por diversas vezes, durante estes dias. A auto-correcção está sempre presente.


 


O que descobri?


 


1. Que este desafio não começou no dia 01/03/2013, mas há mais de 1 ano, quando comecei a mudar as coisas em casa e na minha forma de estar na vida.


 


2. Que o efeito bola de neve, existe: paralelamente com o recolher/arrumar, passei a dobrar sempre a manta do sofá e a arrumar as almofadas, passei a arrumar melhor a cozinha...


 


3. Que pouco a pouco (e não me canso de reforçar este "pouco a pouco") as mudanças vão evidenciando-se pela casa, pelo tempo disponível e pela tranquilidade de não ver objectos "a monte".


 


 


E com isto, já penso no próximo passo. 

Uma receita para mudança


 


1. Uma mudança de cada vez


2. Começar devagar


3. Repetir diariamente, na mesma hora


4. Comprometa-se com alguém


5. Responsabilize-se


6. Estabeleça consequências


7. Desfrute a mudança


 


 


Há coincidências extraordinárias. Hoje em diversas trocas de impressão com a Ocupadíssima, dizia-lhe que para mim, o ponto de viragem (nestas coisas de destralhar e noutras) foi o projecto de destralhar 3 objectos por dia e foi precisamente porque:


 


- me concentrei apenas nessa actividade diária;


- comecei apenas por 3 objectos diários (em vez de uma divisão, por exemplo);


- estabeleci uma rotina diária;


- comprometi-me com as/os leitores do blog;


- responsabilizei-me perante as/os mesmas/os a publicar os resultados diariamente;


- vi a vergonha de falhar publicamente como a minha consequência maior.


 


No final do dia, leio um texto com os 7 pontos acima indicados, como se fosse escrito para concluir o dia. E hoje gozo os frutos do meu labor. Por isso e pelo facto de ter estado pouco tempo em casa na última semana, não tenho fotos adicionais para o desafio recolher/arrumar que hoje tem o seu 20º dia. E essa é a verdade.


 


Durante o dia as coisas vão sendo arrumadas no seu local e no final do dia não há nada nas superfícies.


 


Continuam as mesmas duas superfícies a precisar de tratamento: secretária do escritório e mesa da cozinha. Mas essas duas (e mantendo-me fiel ao ponto 1, serão alvo de intervenção própria).




Inspiração de hoje: How to Change Your Life: A User’s GuideLeo Babauta

Recolher/Arrumar 11 e 12

Em dois dias, apenas descobri um objecto fora da sua casinha... E só o descobri na manhã seguinte... deve ter fugido pela calada da noite, safadolas



 


Ontem à noite, senti que realmente havia instituído, mas que uma rotina, um comportamento. As sacas e os seus conteúdos foram prontamente arrumados. A roupa lavada imediatamente colocada nos armários ou gavetas. 


 


Estou a gostar da experiência e recomendo, mas agora que quase nunca tenho nada para recolher/arrumar, começo a sentir que há muito que estou a adiar a tarefa de destralhar.


 


Destralhar - uma dentada de cada vez


 


Com efeito, é meu objectivo destralhar o que está em excesso para não ter de me preocupar com ele quando chegar o tempo das tarefas de manutenção da casa. 


 


Ou seja, o objectivo geral: destralhar a casa. O problema com os objectivos com "o" grande é que são demasiado genéricos e são tão "grandes" que acabam por ser impossíveis de atingir de forma igualmente genérica. É a velha máxima: como se come um elefante? Com uma dentada de cada vez.


 


A casa tem 5 divisões, uma delas a casa de banho que não já foi alvo de intervenção. Sobram 4: 1 cozinha, 1 sala, 1 escritório e 1 quarto de dormir. O escritório e a cozinha são o meu calcanhar de Aquiles. Por isso, escolher uma delas seria condenar-me ao fracasso, embora sejam os espaços que mais ansiedade me causam.


 


Porém, decidi enveredar por uma estratégia diferente:


- Escritório e cozinha continuam como pequenos projectos (uma prateleira de cada vez)


- Quarto e sala serão alvo de uma master list (uma de cada vez). 


 


O que é uma master list?


É o elefante partido em bocados que caibam na boca. Uma lista de tarefas para cada divisão. E cada tarefa tem a sua acção.


 


Exemplo: sala/estante de livros/prateleira 1


acção 1 - destralhar


acção 2 - colocar os livros destralhados à venda no Miau/WinkingBooks ou doação


acção 3 - separar os livros a destralhar dos restantes


 


Se pensarem bem nas acções, isto já é uma tarefa com algum trabalho. Há que tomar uma decisão quanto aos livros, fotografar os que serão para vender ou trocar, mudá-los de local para perceber o espaço.


 


Como não tenho onde colocar os livros enquanto os aloco para venda ou troca, coloco-os numa prateleira à parte, numa outra estante do escritório.