Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Destralhar

Plano B da Vida

Destralhar

Plano B da Vida

Bons hábitos são mais fáceis de recuperar

Há esperança. Há uns dias a Susana R. lamentava-se que passou de uma situação excelente para outra de desleixo e isso pesava-lhe. Não faltaram vozes a identificarem-se com a situação. 

Conseguimos com tanto esforço implementar bons hábitos e num instante tudo volta ao caos: roupa por dobrar em cima da tábua do ferro, louça lavada por arrumar na sala, sala por aspirar depois de um lanche de domingo, louça por lavar na banca, sacos para a reciclagem há dois dias na cozinha. Sim, estou a falar de mim.

Sim, são 21:28 quando escrevo este post, em plena violação do apagão digital.

 

Mas há esperança. Uma das coisas que descobri depois do desafio Operação Destralhar é que mais fácil manter algo que aprender a fazê-lo. Mais, que depois de ver a ordem, é mais difícil conciliar-me com a desordem.

 

Por isso, depois do jantar decidi que não iria adiar mais um dia as tarefas:

- varri a casa (por alto) e aspirei a sala;

- arrumei a louça que usei no lanche no respectivo armário;

- outra louça lavada foi arrumada no seu lugar;

- arrumei os sacos para a reciclagem e coloquei-os junto à porta (amanhã saem de casa comigo);

- arrumei pequenos objectos espalhados pela casa;

- arrumei os bancos e cadeiras no seu lugar;

- arrumei a caneca suja do lanche na máquina da louça.

 

Pequenas tarefas que transformaram o caos em ordem e a ansiedade em paz.

 

Entretanto, aproveitei as visitas para destralhar um cesto em verga, a caixa dos DVD (que ainda não tinha seguido para a dona) e uma almofada decorativa que destralhei à força da casa dos meus pais.

 

Destralhadas

Os planos falhados para o fim de semana:

0 minutos a passar a ferro

0 remendos

1 casa limpa - a da minha mãe

1 panela de marmelos descascados (ui... que trabalheira)

0 dias a deitar-me até às 22h30 (hoje é mais um exemplo de uma fila de bolas vermelhas)

 

Hoje já separei 2 camisolas brancas para destralhar, ambas serão para reutilizar em remendos de outras tshirts. Estou a aproveitar a mudança de estação para começar a destralhar algumas peças. Nada de muito dramático - por ora - apenas as mais evidentes. 


Também passei a ferro durante 30 minutos. Aproveito para reclamar do meu relógio que, marcados os 30 minutos do cronómetro, decide tocar aos 15. Sabem o que é ouvir tocar, pensar que já posso terminar e descobrir que ainda vou  a meio? Não é bonito. Até parece que aquele idiota decidiu gozar comigo.

 

Amanhã coso umas calças de pijama e faço um bolso em tecido para um casaco da minha mãe (para tapar uma nódoa). 

 

Ajuste de objectivos: passar a ferro 10 peças por dia

 

 O plano era passar a ferro 10 peças por dia. Porém, logo no terceiro vi que isso era um grande disparate. Se chego a um ponto em que só tenho camisas, estão a ver o tempo que demorar passar 10 camisas?

 

Não, definitivamente tenho de corrigir o objectivo para o que realmente era o objectivo: passar a ferro, um pouco, todos os dias. 

 

Naturalmente dir-me-ão que:

- é mais fácil passar tudo uma vez por semana e não me preocupar com isso,

- do ponto de vista energético é pouco eficiente.

 

E eu respondo-vos que têm toda a razão. Que isso é o que eu gostaria de fazer, mas não consigo fazer. Assim, pequenos passos: passar a ferro um pouco por dia de forma a não ter de passar a ferro uma peça por dia para vestir nessa manhã. 

Com esse método espero passar a ter roupa pendurada no roupeiro e não acumular mais roupa por passar (que já surgindo durante a semana).

 

Assim, o objectivo é passar a ferro 30 minutos por dia, todos os dias (mesmo ao fim de semana).