Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Destralhar

Plano B da Vida

Destralhar

Plano B da Vida

DESTRALHAR EM SETEMBRO 12/30

 


Este poderia ser um texto sobre dois temas: como nós também podemos ser o foco da tralha, quando oferecemos presentes ou como guardar coisas que possam ser úteis mais tarde nem sempre é a melhor solução.


 


A Sara, sem querer, escolheu o tópico. 


 


Em traços gerais: há cerca de 2 anos e meio, eu decido oferecer um telemóvel para que a minha mãe receba fotos da neta. Não foi caro, troquei por pontos e era baixa gama. Resultado, nem ela recebeu as fotos, nem "atinou" com o telemóvel. Cerca de 2 meses depois da compra, estava sempre a queixar-se que se ouvia mal, que "não se ajeitava" com ele, etc...


 


Acciono a garantia, por descargo de consciência. Ele volta como foi. Eu troco-lhe de telemóvel porque o que ela gostava mesmo era igual ao antigo: os sapinhos. Encosto o telemóvel e penso: se vender agora, não me dão nada por ele e posso utilizá-lo mais tarde.


 


Quando comecei a destralhar, decidi vendê-lo porque estava parado há 2 anos. Tentei carregar a bateria e nada. Morreu. Acciono novamente a garantia (no limite do prazo) e volta para trás por "mau uso". Com efeito, recordo-me que quando o ia colocar a carregar ele me escorregou e bateu na mesa. Aparentemente partiu qualquer coisa dentro. Jamais saberei.


 


Em suma, não guardes para mais tarde o que te pode escorregar da mão.


 


O que vêem na foto, vai para o electrão e o remanescente, como capas, bateria, carregador e auricular tentarão ser vendidos.