Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Destralhar

Plano B da Vida

Destralhar

Plano B da Vida

Destralhar como um vulcão -método para áreas problemáticas

Quando li o livro Winning the Clutter War (poderão encontrá-lo Amazon.com onde é possível adquiri-lo, com frequência, gratuitamente), um dos métodos que achei particularmente interessante foi o Método Monte Vesúvio (aludindo ao vulcão em actividade e à força vulcânica) para áreas particularmente complicadas e que tem como objectivo destralhar uma área difícil, sem tem de tomar decisões sobre os objectos

 

Poderá, para alguns/mas ser controverso porque se questionam se não estão simplesmente a mudar as coisas de lugar. Porém, a experiência diz-me que há momentos em que a energia e o tempo não se compadecem com mais e este é um excelente ponto de partida.

 

Objectivo: desempedir determinada divisão ou móvel, sem decidir nada sobre os objectos; só encaixotá-los o mais rapidamente posivel

 

Plano de Acção:

 

1º) Pensar nas categorias de objectos a destralhar (roupa, livros, papéis, disciplina XPTO,...).

 

2º) Arranjar caixas de arrumação 

 

A minha primeira sugestão vai para caixas de resmas de papel A4 que podem solicitar em locais como Staples ou um centro de cópias. A segunda opção são caixas de cartão à venda na IKEA - as mais baratas que encontrei).

 

3º) Arranjar mais uma caixa/balde/saco para uma outra categoria que surja, para lixo, para reciclagem, para doações, para tesouros (pequenos objectos como dinheiro, jóias e afins que encontrem e queiram guardar em local especial).

 

Geralmente tenho uns sacos de plástico para o efeito.

 

4º) Encaixotar por categorias

 

Não examinar, não simplificar, encaixotar tudo o mais rapidamente posivel escrevendo no exterior de cada caixa o seu conteúdo: "livros", "fotocópias da gaveta X", etc.

 

5º) Arrumar

 

Nem que seja num canto da divisão. Melhor assim que a ocupar várias áreas desta. 

 

 

Vantagens:

 

- Evita o sentimento "não sei por onde começar" ou "não tenho tempo ou energia para fazer isto tudo" ou "isto é tarefa para quanto tiver um fim-de-semana livre ou férias";

- Elimina a ansiedade de ter de decidir sobre vários objectos (continua a tê-los disponíveis);

- Evita o desgaste de uma tarefa megalómana (quem nunca ficou cansado de uma sessão destas e acabou por deixar tudo a meio, ponha a mão no ar).

 

Fase II

 

Depois de agrupado e acondicionado, podem pegar numa caixa de cada vez e decidir o seu destino. Se calhar passar por doar, ou reorganizar a disposição das coisas numa estante para caberem mais livros. 

 

Seja como for, têm a vossa área desimpedida, visualmente destralhada e tempo para decidir com cuidado.

Obras em casa

Desculpem a ausência. Mas estou a aproveitar que as divisões em obras estão vazias para as utilizar como estaleiro: lixar e pintar portadas das janelas e o mobiliário do quarto, sem me preocupar em proteger o chão ou com o que o vento cola à tinta.

 

Realmente assim é muito mais rápido!

 

 

Como destralhar o roupeiro - passo a passo - 3

Se bem se recordam, no computador tinha 3 grupos de peças. A fase seguinte consistiu em separá-las e depois pegar noutras peças das mesmas cores e agrupá-las. Foi nesta fase que, por exemplo, decidi substituir um cardigan curto por outro mais comprido ou substituir um blazer bege por uma malha. 

 

Separem só. Não arrumem pois alguma dessas peças ainda pode caber nos restantes grupos.

 

 

Quarto - escolher 4 neutros que funcionem com os neutros escolhidos anteriormente. No fundo, 4 peças que poderia combinar com muitas das anteriores, mas que funcionariam muito bem apenas com uns jeans (percebem o padrão... já sabem o que vou colocar nos essenciais, não sabem?)

 

Eu escolhi apenas peças superiores porque sei que uso quase sempre jeans. E como o tempo ainda anda muito inconstante, quero variedade de tops com todos os comprimentos de mangas.

 

 

 

Para os grupos seguintes, agrupei peças: mangas curtas/mangas compridas/camisas, calças... E foi desses grupos que me apercebi de repetições, peças que nunca uso e as que iriam ser incluidas nos passos 5º e 6º.

 

Tudo que não foi escolhido, foi guardado num saco... por agora. 

 

 

Quinto - 4 peças para o tronco superior, se assim se pode dizer e que são para usar no dia a dia. Escolhi os básicos (que também poderiam estar nos "essenciais", incluindo uma tshirt com padrão. Aqui, a minha escolha começa a ficar um pouco mais personalizada em relação ao método original já que substituí os tops de destaque por acessórios.

 

 

Sexto - Escolhi os essenciais: calças de ganga, 2 tshirts e umas sapatilhas azul escuro que possam ser utilizadas com os restantes blocos de cor.

 

 E finalmente, ultrapassando o número 33, introduzi sapatos e acessórios para cada grupo: cintos, carteiras, um colar e um par de brincos. As escolhas foram sempre feitas de peças que já possuo e de peças que estava a precisar comprar: sapatilhas escuras para usar no local de trabalho, mocassins (para substituir calçado com tacão) e calças formais porque as que tinha deixaram de servir. 

 

E foi assim que, passo a passo, separei 39 peças para usar nos próximos 3 meses, sendo que irei substituir algumas peças mais quentes, por outras mais frescas, assim que o tempo permitir.

 

My Spring wardrobe

 

My Spring wardrobe

 

O método é flexível e como diria a autora do projecto 333, não é um desafio de sofrimento. Ajusta-se, melhora-se e acredito que melhorará a nossa vida (menos peças para passar a ferro....yeahhhh!!!!).

 

Passo final: imprimir diferentes looks e combinações e pendurar na porta interior do roupeiro ;)

 

 

Pág. 1/5