Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Destralhar

Plano B da Vida

Destralhar

Plano B da Vida

Destralhar vestuário

Sempre que me aparece mais uma publicação de um blog a "ensinar" como destralhar o vestuário, apetece-me fugir na direcção oposto. Primeiro, recomendam que esvazie o guarda roupas e só coloque as peças que usou no último ano e outras indicações do género. Para mim, uma tarefa dessas é imensa e como tal, propensa a sucessivos adiamentos.


 


Decidi (como mandam as regras do destralhar) "atacar" um ponto que me estava a chatear consideravelmente: as calças.


 


Problema 1: calças no armário, no guarda-fatos e no cesto da roupa para passar a ferro


Problema 2: calças com dois tamanhos diferentes, sendo que um deles não me serve


Problema 3: os problemas 1 e 2 combinados fazem com que inadvertidamente pegue em calças que me ficam a nadar (nos locais mais chatos)


 



Assim, o plano de ataque consistiu em:


 


- colocar em cima da cama todas as calças que encontrei


- separá-las pelos dois tamanhos


- experimentá-las e separar por "serve"/"não serve"


- colocar todas as que não servem num saco


- separar as que servem por: "prontas a usar"/"a precisar de remendo ou alteração"


 


 


Resultado final:


 


- "prontas a usar" foram para o guarda-fatos,


- "a precisar de remendo" foram para um saco e serão alvo de intervenção" (coisas como um botão ou subir a baínha)


- "não servem" foram para um saco (de notar que duas ainda tinham a etiqueta de compra; ainda não irei desfazer-me delas pois tenho esperança de conseguir melhorar os meus dotes de costura e as adaptar)


 


 


A Ler: orgjunkie - Tips for parting with your clothes - free printable

Ser minimalista...

Eu não sou minimalista. Eu gosto dos meus livros nas prateleiras... muitos. Aqui, sentada no sofá, gosto de olhar para eles, tê-los aqui comigo. Talvez a minha postura tenha mais a ver com o neo-frugalismo. Tenho pensado nisso, a propósito de uma conversa que tive. Este fim de semana, enquanto via a minha mãe destralhar, outra familiar a referir que iria fazê-lo, a ver objectos a passarem de umas casas para outras, do inútil para o útil, optei por não pensar mais no assunto. 


 


Sabem o que me aconteceu frequentemente? Andar pela casa à procura do leitor de MP3 e descobri-lo sempre no lugar que escolhi para ser o seu lugar. Ou seja, antes de pensar, o hábito leva-me a todos os locais onde (antes) o deixava. Surreal.


 


Este fim de semana foi ocupado com outras coisas. Remendos. Não têm um canto no armário em que colocam aquela peça que está sem um botão? Que precisa de um ponto? Eu tinha 2 carteiras (forro), uma camisola interior (das que precisavam de etiqueta), ...


 


Por isso, decidi pegar no kit de costura e tratar destas peças. Foi o meu projecto de fim de semana.


 



 

Pág. 1/5